TEL: +351 255 718 300 EMAIL: pecnordeste@pecnordeste.pt

Carne Cachena

Entrevista ao Sr. Presidente da Direção Cooperativa Agrícola dos Arcos de Valdevez e Ponte da Barca – Sr. José Carlos Ribas Gonçalves

Ano de Fundação
1976


N.º de Associados
2 300 associados


Localização
Arcos de Valdevez


Objetivos
Comércio a retalho de bens e factores de produção, comercialização de produtos provenientes das explorações agrícolas dos seus associados, controlo sanidade animal da sua área geográfica de intervenção, apoio técnico transversal a todos os domínios da actividade agro-pecuária.

A entidade detentora da denominação de origem protegida para a carne da Cachena da Peneda é a Cooperativa Agrícola de Arcos de Valdevez e Ponte da Barca. Quais os objetivos que estiveram na base desta ligação?
Sendo a Cooperativa Agrícola de Arcos de Valdevez e Ponte da Barca, CRL, a entidade Cooperativa mais representativa do setor primário no território que alberga uma raça autóctone como é a Raça Cachena, obviamente teria que existir esta ligação. Representamos o setor pecuário dos Concelhos de Arcos de Valdevez e Ponte da Barca, na pessoa dos nossos associados e do apoio que lhes prestamos em todos os domínios da sua intervenção.
A revitalização de setores de atividade relacionados com os produtos autóctones animais e vegetais representa uma das nossas grandes apostas, privilegiando o comércio de proximidade, circuitos curtos comerciais, aproximação da produção ao consumidor final, a promoção do território e de todos os produtos agrícolas nele existentes.
O conceito “consumir in locu” é para nós uma estratégia de fomento de um conjunto de iniciativas que contribuirão significativamente para a dinamização de um território de interior, de baixa densidade, através de uma interligação estreita entre todos aqueles que possam contribuir, direta ou indiretamente para o desenvolvimento e crescimento económico das populações que o densificam (Autarquias, comerciantes, setor associativo e cooperativo, entre outros).

 

Quais as principais funções da Cooperativa junto dos Produtores de Carne Cachena?
Temos como principal função e “obrigatoriedade” a preservação de um produto autóctone, património nacional e comunitário, cujo ónus nos foi delegado pelo Estado Português.
A nossa função é abrangente e pretende ser transversal a todo o circuito produtivo e comercial.
Em parceria com todas as entidades relevantes para que este processo decorra com garantia de qualidade, acompanhamos as explorações pecuárias em todas as fases do seu processo produtivo, nomeadamente na elaboração de arraçoamentos alimentares, implementação de sistemas de produção mais direcionados para a produção de carne de qualidade, homogeneização da produção/garantia de obtenção de um produto final homogéneo que respeita as características físicas e organolépticas da Carne de Cachena.
Garantimos ainda o controlo e certificação de todo este processo, através da parceria estabelecida com a Certis – Organismo de Controlo e Certificação do Produto.
No que refere a seleção, recolha e concentração de animais para abate, o critério baseia-se no conhecimento aprofundado de todos os produtores, explorações pecuárias e respetivos animais que entram na fileira de comercialização da Carne Cachena da Peneda DOP, fruto do acompanhamento técnico permanente já referido anteriormente, sendo garantido que, nenhum animal entra no circuito de comercialização da carne sem a garantia que se encontra devidamente recriado e cuja carcaça nos vá assegurar a qualidade da carne pretendida. No que refere ao abate dos animais, acondicionamento do produto e respetiva distribuição junto dos pontos de venda, temos estabelecido parcerias com matadouros da região, ressalvando aqui a parceria estabelecida com a PEC Nordeste – Centro de Abate pertencente ao Grupo AGROS, que nos garante todas as condições de bem-estar animal e controlo de qualidade do produto, ao longo de todo o circuito, desde a saída dos animais das explorações pecuárias até aos pontos de venda.
Realçamos ainda neste ponto, a relação de proximidade existente ao nível dos pontos de venda. Não só da venda a retalho mas também da restauração, situação que nos permite garantir a proveniência e qualidade do produto Carne da Cachena da Peneda DOP.

 

Ao longo dos anos, a Carne Cachena tem somado prémios em diversos concursos. Quais os que mais gostaria de destacar?
Sendo o produto Carne de Cachena da Peneda DOP um produto constante do movimento internacional Slow Food, ao longo dos últimos anos, tem-nos honrado com múltiplos prémios nacionais e internacionais, valendo a excelência da sua qualidade, comentários dos diversos júris como:

“Excelente sabor.”
“Textura e suculência no ponto.”
“Carne muito tenra e saborosa.”
“Perfeita!”
“Excelente equilíbrio entre elevada suculência ótima tenrura e bom sabor.”
“Sabor e textura ótimos, nota-se a frescura da carne.”
“Espetacular!”
“Muito saborosa, ótima textura e suculência.“
“Parece ser a amostra fresca. Requintada textura e requintado sabor”

Este tipo de comentários e reações às diversas provas efetuadas permitiram-nos, durante os últimos anos a obtenção da classificação máxima nas várias edições do Concurso Mundial de Great Taste Portugal, bem como do Concurso Nacional de Carnes Tradicionais Portuguesas.
Destacamos também neste ponto o Prémio Intermarché Produção Nacional, atribuído no ano de 2018, na categoria da “Produção Primária”, obtido em parceria com a PEC Nordeste.

 

Morfologicamente, o que distingue a Raça Cachena das restantes? Qual a sua principal distribuição geográfica?
As características morfológicas dos Bovinos da Raça Cachena são o resultado da sua “carga genética” mas também da interferência geológica e climatérica do seu solar e, de forma destacada, a ação do homem na gestão destes fatores. Da mesma forma, a relação homem/animal permitiu que, ao longo dos séculos estes bovinos se apresentassem dóceis, de fácil trato e maneio, mesmo sendo a sua produção extensiva.
Animais de estatura baixa, medindo, em média, 1,10 metros de altura ao garrote, característica que lhes confere o título da raça mais pequena de Portugal e uma das mais pequenas do mundo, é uma raça adaptada ao relevo da alta montanha no seu território, que engloba uma importante área do Parque Nacional Peneda Gerês, mais propriamente os Concelhos de Arcos de Valdevez, Ponte da Barca, Monção, Melgaço, Vila Verde e Terras de Bouro (Concelhos que representam o solar da Raça Cachena).
Esta particular rusticidade permite definir um produto que é a Carne Cachena da Peneda DOP.
De sabor único, reporta ao consumidor, as sensações e sabores que vincam a sua origem e a sua alimentação equilibrada.

 

Como caracteriza, em termos visuais, textura, tenrura e sabor esta carne?
Distinguindo-se esta carne das restantes pela sua suculência, tenrura, cor rósea clara, consistência firme, ligeiramente húmida e com pouca gordura intramuscular, consegue captar um universo abrangente de consumidores.
A parceira criada com a PEC Nordeste veio aportar ao circuito de comercialização da Carne Cachena da Peneda DOP uma mais-valia substancial.

 

Neste enquadramento, como define a relação e parceria com a PEC Nordeste e quais as suas mais-valias?
Sem dúvida que a parceira criada com a PEC Nordeste veio aportar ao circuito de comercialização da Carne Cachena da Peneda DOP uma mais-valia substancial e fundamental para assegurar a continuidade da implementação de uma fileira comercial sustentável, eficaz e credível.
Desta parceria, tem resultado um aumento significativo das quantidades de carne comercializada, assim como tem permitido a sua dispersão para áreas de interesse, nomeadamente grandes centros urbanos e espaços preparados para o tratamento correto deste tipo de produto. Esta abordagem acrescenta valor e visibilidade ao produto e torna estratégica a parceria entre as duas instituições.

 

Num mercado cada vez mais competitivo e complexo, como é o negócio global do comércio de carne, como perspetiva a necessidade de ganhos de escala necessários que aconteçam em todas as etapas da fileira, e qual o papel que o Grupo AGROS poderá ter nesse contexto?
É claro para nós que este é um mercado profundamente concorrencial e complexo.
O princípio que acreditamos ser o ponto de partida para uma evolução favorável, é a oferta de um produto de qualidade garantida, homogéneo nas suas características, apelativo enquanto produto alimentar mas também, enquanto “transportador” de uma história de um povo, a evolução da história de um território, uma tradição de produção.
A comercialização estratégica em pontos de venda bem selecionados, cujo valor acrescentado é consentâneo com a qualidade do produto, torna possível uma evolução sustentada, embora mais lenta, mas com mais garantia de predominar e evoluir favoravelmente.
Temos noção que o mercado é exigente, mas sabemos que existem potenciais consumidores que apreciam a qualidade, a excelência dos produtos. É para esses que trabalhamos, é essa a estratégia a seguir.

Só com parcerias credíveis, conseguimos atingir objetivos. Trabalhamos com o grupo AGROS desde há muito tempo a esta parte, sendo nós também parte dessa “família”.

Assim pretendemos continuar, porque acreditamos nos mesmos princípios cooperativos e nos produtores que todos representamos.

 

0 Comentários