Protocolo de abastecimento de escolas com carne de raça autóctone

Entrevista a João Manuel Esteves, Presidente da Câmara Municipal de Arcos de Valdevez

Como surgiu a ideia de desenvolver este projeto e quais os seus principais objetivos?
O Município e os seus parceiros pretendem promover, valorizar e divulgar os produtos locais, melhorar a qualidade e o valor nutricional das refeições servidas aos alunos do Agrupamento de Escolas de Valdevez.

 

Que entidades estão envolvidas na sua execução e de que forma?
Estão envolvidos o Município, a Cooperativa Agrícola de Arcos de Valdevez, o Agrupamento de Escolas de Valdevez, a Associação de Pais e Encarregados de Educação dos Alunos do Agrupamento de Escolas de Valdevez e a UNISELF – Sociedade de Restaurantes Públicos e Privados.

 

Qual tem sido o feedback por parte da comunidade escolar?
Implementada desde o ano transato, esta medida revelou-se um sucesso e do agrado da comunidade escolar que garante que as refeições estão atualmente mais ricas e diversificadas, o que levou também a que mais alunos façam as suas refeições nas cantinas escolares.

 

Que projetos têm para o futuro com vista à promoção da produção agropecuária da região?
Ciente da importância do desenvolvimento rural para a dinâmica económica do concelho, a Câmara Municipal tem vindo a promover várias iniciativas de valorização e promoção do mundo rural, entre as quais a melhoria das infraestruturas viárias, básicas, de energia e comunicações; o apoio financeiro de 50% nos custos com a vacinação de 15.000 efetivos de bovinos, caprinos e ovinos, a qual envolve cerca de 1 milhar de explorações/produtores; a aquisição de Carne Cachena para fornecer aos refeitórios escolares.

Uma iniciativa que a DGEST, considerou ser “uma iniciativa excelente, amiga do ambiente, promotora da economia local e, certamente, atrativa para toda a população, mas, sobretudo, para os alunos, dada a qualidade da carne” e que também foi alvo de elogios pela Direção Geral da Agricultura e Desenvolvimento Rural.

O Município também apoiou o setor do vinho através da oferta de 2 caixas de vinho aos restaurantes na compra de 2; do lançamento do Espumante Vez e da criação da loja de Vinhos onde são vendidos os vinhos e alguns produtos locais.

De igual modo tem dado apoio ao setor Florestal através de apoios à reflorestação, à ação dos Baldios e às Equipas de Sapadores, mediante a celebração de protocolos.
Naquilo que toca ao apoio ao Investimento, apoiou Talhos através do PROCOM ou InvestArcos; implementou a redução de Taxas e impostos Municipais de -75% e a isenção de derrama;

Também tem promovido as cadeias curtas de comercialização através da Reabilitação e animação do Mercado Municipal e da Loja dos Vinhos, assim como tem em curso a empreitada das Esplanadas do Vez, as quais servirão para promover os produtos do concelho.

Na Promoção e Valorização dos Produtos e Produtores desenvolveu o catálogo “Terras do Vez-Sabores e Tradições” a Promoção, Valorização e Escoamento dos produtos assim como um apoio financeiro de 25% na fatura.

Através dos fins de semana gastronómicos, Arcos à Mesa, faz a promoção da gastronomia, doçaria e vinhos locais.

A autarquia também tem promovido o apoio à Inovação através do Protocolo IPVC/Nutrir, com o qual se pretende “Avaliar o potencial nutricional e farmacológico dos recursos florísticos locais”; do apoio ao Protocolo entre o IPVC e a UTAD para os doutoramentos, nomeadamente da área agrícola, sendo de referir também que temos no concelho o Laboratório do Vinho Verde, na Estação Amândio Galhano da C. Viticultura da Região dos Vinhos Verdes.

Este dinamismo só é possível porque o Município tem uma rede de parceiros ativa, empenhada na melhoria das condições do mundo rural, como a Cooperativa Agrícola, Adega Cooperativa, Associação dos Vinhos, ACIAB, Associação da Cachena, Associação Garrano, ARDAL, Adere-PG, Incubo, Escolas, Associações Florestais, empresas e produtores.

 

0 Comentários